Saturday, September 10, 2005

o mundo em que vivo repugna-me,
mas sinto-me solidário
dos homens que nele sofrem.
(albert camus)


"taxi driver" by Martin Scorsese

17 Comments:

Blogger TMara said...

Gosto dereler Camus. smp. Bom fs. Passa lá por casa, precisamos de ti. Bjs e :)

7:33 pm  
Blogger C.S.A. said...

Portentosa esta tua associação!
«Comme si cette grande colère m'avait purgé du mal, vidé d'espoir, devant cette nuit chargée de signes et d'étoiles, je m'ouvrais por la première fois à la tendre indifférence du monde...» Camus, de L'étranger.
Apenas uma opção: agir. A metáfora está nessa acção: na dor, pois que esta é sinal de vida. Em Taxi Driver.
Pergunta: mas não é de Scorsese?

9:25 pm  
Blogger corpo visível said...

.
claro que é do scorsese!
.
o que ficou foi o resquício do post que não veio a ser.
.
os corpos também se distraem. :)
.

9:50 pm  
Blogger JRD said...

"Ce n'est pas la révolte en elle-même qui est noble, mais ce qu'elle exige" Albert Camus.

Nota:
A propósito da cadeira "Bocca". Estive no Museu de Figueres, mas devo confessar que não me recordo de ver a "cara" da Mae West, a tal que disse que já tinha estado em mais colos do que um guardanapo.
Sobre o plágio do "Studio 65" não me pronuncio, apesar de o reconhecer, porque o site onde recolhi a imagem lhe atribui a autoria.
Cumprimentos bfs

11:27 pm  
Blogger dueto said...

comecei por ler "o estrangeiro" e, neste momento,tenho "a morte feliz" à espera,a repousar na minha estante,como título da lista de leituras a curto prazo;)

1:53 am  
Blogger JRD said...

Bom Domingo.
Camus à parte e sem qualquer intuito polémico, aqui vai o site.


http://www.architonic.com/web/nMuseum/fstMuseum.php?nid=0.0.0.0.0.0.0.0.0.5.0.10782.0&lng=1&sid=b66f933c00e1d9a82d911beee2103ced

5:50 pm  
Blogger E-clair said...

"Solidário dos homens que nele sofrem"... não aceito o silêncio da metade que falta na frase! Camus já morreu, não aceita protestos... Mas, se há palavras como a palavra "mulher"´ou "pessoas", há que usá-las e deixar o agá falso...

10:48 pm  
Anonymous Nuno Vargas said...

E-clair, homem como humanidade!
Desculpa Corpo, estou-me a tornar repetitivo.

O CSA tem razão. Que associação portentosa!
Um beijo! Grande!
Nuno

10:51 pm  
Blogger Mendes Ferreira said...

olá Corpo....estendido como sempre em "espelhos" magníficos...

11:19 pm  
Blogger E-clair said...

Nuno Vargas,

Relê os meus argumentos, eu bem sei que homem "quer dizer" humanidade mas a questão é que não diz, faz que diz...

12:49 am  
Blogger SGC said...

Prezado/a Corpo visível,
Concordo c a asserção de camus; mas, curiosíssima contradição: «É preciso imaginar Sísifo feliz..."

Respeitos!

12:49 am  
Blogger disparosacidentais said...

parece pertinente o primeiro comentário do/a e-clair.

11:51 am  
Anonymous Nuno Vargas said...

"Solidário das mulheres que nele sofrem"... isso sim, seria demasiado exclusivista.

7:48 pm  
Blogger Elvira Bill said...

Are you talking to me?

Bom fim de semana

9:14 pm  
Blogger O poeta noctívago said...

Que Filme soberbo! E de um realizador de qualidade, apesar de alguns tiros ao lado na sua carreira.

2:59 am  
Blogger devaneios said...

nao conhecia o blog..
mas gostei muito vou voltar!
=)
solidariedade eguista que faz com que o sofrimento de um traga o repouso de outro...

12:45 am  
Blogger jose said...

aprecio imenso a frase que escolheste. o filme não apreciei assim tão imensamente. pode ter-me apanhado num mau dia. :|

4:47 am  

Post a Comment

<< Home