Saturday, February 17, 2007

és nuvem, és mar,
és olvido
és também
aquilo que por ti foi perdido.
(jorge luis borges)



"little children" by todd field

22 Comments:

Blogger art&tal said...

no decor

um novo aroma

10:41 pm  
Blogger Mr_Lynch said...

Corpo Visível;
Já me falaram do poeta Jorge Luís Borges mas desconheço a sua obra.
Ainda não visualizei "Little Children" de Todd Field. Conheço apenas o seu trabalho como actor ("The Haunting", "Eyes Wide Shut" o saudoso "Radio Days"...)
*

5:15 pm  
Blogger @ said...

א - alef = sem som

12:01 am  
Blogger @ said...

(virtudes públicas/vícios privados)

12:04 am  
Blogger intruso said...

a frase de J.L.B. faz todo o sentido... ser e ser também...
...
registei.


bj


p.s.
filme... a ver.

3:09 am  
Anonymous n said...

está perfeito... não seremos nós também assim, little children, a fantasiar dia-a-dia...?

1:29 pm  
Anonymous marta said...

somos, porque não conseguimos completamente, deixar de estar nos lugares que amámos.um beijo.

7:38 pm  
Blogger merdinhas said...

...Soy, tácitos amigos, el que sabe
Que no hay otra venganza que el olvido
Ni otro perdón...


J.L.B

12:55 am  
Blogger art&tal said...

hello

my dear...

... treta tipica de um engatador de copo vazio.

i love you

ps: de facto toda a gente sabe que minto.

7:19 am  
Blogger i2_s2 said...

ser força na opção-abdicação alheia. são, de facto, extensos os tentáculos do BI profundo de cada um.

11:47 am  
Blogger O Caso de Charles Dexter Ward said...

É forte esta afirmação!

6:26 pm  
Blogger art&tal said...

my dear

de facto um cemiterio

um aterro sanitario

um arquivo morto

adoro chorar na campa das paixoes velhas

claro

c.

8:40 pm  
Blogger FDV said...

livros para ler.

filme para ver.

3:57 pm  
Blogger ana catarina said...

Eu estava aqui a pensar como é que se faz para viver com aquilo que perdemos por falta de maturidade, por medo de arriscar, por comodismo...
A certa altura temos de inventar outras realidades para podermos continuar, para aguentarmos todo o vazio que fica. E rezar para acreditarmos nas mentiras com que nos enganamos.

CV este post tem pano para mangas!
Fabuloso como vem sendo já habitual. :)

1:17 am  
Anonymous Maralto said...

A biblioteca aumenta, enfim exisrem sempre encruzilhadas e ao fundo um espelho que reflete o labirinto ou a biblioteca.

1:18 pm  
Anonymous Anonymous said...

Gaija, 5ª feira, Plano B?

5:37 pm  
Blogger Kraak/Peixinho said...

Perder algo por alguém pode ser revisto nos 2 lados da moeda. É sempre discutível os nossos pontos de vista, em cada fase temporal da nossa vida.

Dependente também do nosso estado mental. :)

Curto estes teus jogos cine-poeto-fotográficos. :)

1:52 pm  
Anonymous Anonymous said...

Como é que se sobrevive ao que se perdeu quando o outro nos diz "sabes que te amo mas que serei mais feliz sem ti"?
Francisco

7:17 pm  
Blogger Photoptero said...

aquilo que nunca se acha... será?

1:26 am  
Blogger art&tal said...

...

um novo aroma

diziam-me...

"onde foste buscar esse cheiro novo?"

"esse nao é o teu perfume".

ups! foda-se

e de perfume em perfume se foi contando a historia.

7:28 am  
Blogger isabel mendes ferreira said...

afinal era só nevoeiro.


de lume.



______________


(invisivel?)

11:58 pm  
Blogger intruso said...

pois... livros para ler
muitos.
(na convalescença há tempo,
e sabe muito bem;
Jorge luis Borges e não só)

2:15 am  

Post a Comment

<< Home