Friday, March 23, 2007

homens que são como lugares
mal situados





homens que são como casas
saqueadas





que são como sítios fora dos mapas
como pedras fora do chão
como crianças órfãs





homens agitados
sem bússola onde repousem





homens que são como
fronteiras invadidas

que são como caminhos barricados





homens que querem passar
pelos atalhos sufocados
homens sulfatados por todos os destinos
desempregados das suas vidas





homens que são como a
negação das estratégias





que são como
os esconderijos dos contrabandistas





homens encarcerados
abrindo-se com facas





homens que são
como danos irreparáveis





homens que são
sobreviventes vivos





homens que são sítios desviados
do lugar



daniel faria and "half nelson" by ryan fleck

22 Comments:

Blogger Photoptero said...

"interessa também o coração que ele agarra como fruto que colhe
Ou que veia abre no corpo para beber
- se não é que é a pedra o que ele bebe com as mãos"

DF

3:02 am  
Blogger vague said...

Adoro, simplesmente adoro Daniel Faria. (Vim através do aniv. da Hipatia :)
E a composição, imagens com o texto, está bem conseguida.

12:51 pm  
Blogger Kraak/Peixinho said...

Belíssimo post, Corpo! Atabalhoadamente deixei passar este filme... ontem decidido que estava a ir ve-lo, deparei-me com a sua saída do circuito... :Z

Conclusão: fiquei com "o véu pintado", LOL.

2:48 pm  
Blogger art&tal said...

homens...

um velho filme

rasgam tudo.... querem tudo... amam e mamam tudo...

fodidos os homens

as mulheres tambem

10:35 am  
Blogger Frioleiras said...

"Homens desempregados da sua vida" ... gostei deste teu "título" ...
dá q q pensar ...

n gosto, mesmo nada, deste tipo de homens ...

e, se pensar ...

há tantos !

11:55 am  
Blogger Marta said...

simplesmente genial...é para ler e reler...

1:51 pm  
Blogger intruso said...

brilhante,
Daniel Faria

(...e o teu post)

[o filme... a ver!]

4:00 pm  
Blogger manhã said...

não vi o filme, mas os homens assim isolados ganham dimensão de deuses, rudes deuses, mas deuses!

8:33 pm  
Blogger merdinhas said...

um filme que quero ver.

(sei muito pouco da história do filme, do homem professor...)

12:04 am  
Blogger Yardbird said...

Espectacular a montagem, as palavras, as fotos...tudo
Fiquei contente por saber que o Corpo se voltara a visibilizar :-)

5:25 pm  
Blogger menina limão said...

grande post. anseio tanto por ver este filme que quase rebento de ciúmes.

8:09 pm  
Blogger Mr_Lynch said...

Corpo Visível;
Profundo estudo à existencia masculina...?
;-)
Cinco estrelas a relação texto/imagem. Excelente post.

10:16 pm  
Blogger disparosacidentais said...

são homens perigosos.

1:04 pm  
Blogger dora said...

bonita esta escada de descer os homens
( até à raiz que depois sobe, agora para ser de verdade? )

5:14 am  
Blogger Naked Lunch said...

"...danos irreparáveis..." pois...

gostei muito do filme...

5:55 pm  
Blogger firmina12 said...

não vi o filme, mas percebo já e ideia. pela parte, e pela generosidade que me toca, existe um homem que eu até adoptava, apesar de ser mais velho que eu

2:17 am  
Blogger art&tal said...

e o post pascal?

7:57 am  
Blogger i2_s2 said...

eu que leio daniel faria num abraço sempre tão meu, gostei de chegar a esta casa e ver a montagem com mundo exterior.

(é engraçado ver de onde veio o título deste livro)

4:58 pm  
Anonymous Anonymous said...

Eu também já fui (sou?) assim, um homem que é um sítio desviado do lugar.
Francisco

4:49 pm  
Blogger Insignificante said...

Excelente conjugação ;) Adorei o filme, adoro o poema .

11:39 pm  
Blogger Vanessa said...

Adorei este post. Conheço o poema. Falta ver o filme... :)

2:58 pm  
Anonymous Piuta said...

Well written article.

9:48 am  

Post a Comment

<< Home