Friday, October 24, 2008

o barulho de existir:
um cão
dentro de mim.
(carlos nejar)


william charles everlove by philip-lorca dicorcia

20 Comments:

Blogger corpo visível said...

.
having set up the scene for each picture, dicorcia would find a man on the street and offer to pay him to appear in the photograph.
.
hustlers series.
.

9:34 pm  
Blogger 605 Forte by CPiteira said...

isto?
apetece-me tanto...

2:17 am  
Blogger vermelho como a estrada said...

Às vezes o barulho de existir é ensurdecedor.

12:34 am  
Blogger Naked Lunch said...

bem captado... barulhor de existir de uma multidão aleatória... um micro que capta pensamentos e frequências biológicas... e um piano numa estação de comboio abandonada...

12:46 pm  
Anonymous Anonymous said...

O barulho de existir...
O Luca está aqui a lembrar-se de ti a dizer num italiano macarrónico a um Stefano boquiaberto e enfeitiçado "non ha amore alla vita senza desperation di vivere".
Terias tu noção de que irias mudar a nossa vida social em Milano?
Ringraziamenti mólto :P
Francisco

10:51 pm  
Blogger intruso said...

barulhos interiores
ruídos de fundo
(sombras dentro)

...


(mais um belo post da sequência...)

2:33 am  
Blogger observatory said...

o mesmo encanto :)

o de sempre

*C.

7:27 am  
Anonymous Anonymous said...

"Atravesso
como a um pátio
o barulho de existir".
Às vezes eu também ando assim...
João D.

1:43 pm  
Blogger O Caso de Charles Dexter Ward said...

Eu também...

2:40 pm  
Blogger licopódio said...

O barulho de não existir.

9:25 pm  
Blogger Ca:mila said...

uivo de ginsberg

10:09 pm  
Blogger m.i.m. said...

belíssima imagem. a lembrar o abando e a fantasmagoria das personagens perdidas nos quadros de hopper.

12:04 pm  
Blogger merdinhas said...

anditmakesmegiggle

1:07 am  
Blogger merdinhas said...

This comment has been removed by the author.

1:07 am  
Blogger merdinhas said...

despois comento o cão. por dentro...

1:08 am  
Blogger Mr. Lynch said...

Corpo Visível;
Como pode uma frase dizer-nos tanto...?
Excelente.

9:14 pm  
Blogger Naked Lunch said...

e o de deixar de existir? um PLOP? um MIAU?

11:59 am  
Blogger merdinhas said...

Num poema dele havia um poço que não entrava na palavra poço e amor que não entrava na palavra amor.


Talvez também um cão que não entra na palavra cão...?

Um cão fantasma?

12:24 am  
Anonymous Anonymous said...

Se o pudesse fazer, a Corpo Visível provavelmente diria "um cão nada fantasma; um cão quase palpável que rosna incessantemente dentro de mim".
Francisco

11:31 pm  
Blogger corpo visível said...

.
um cão nada fantasma; um cão quase palpável que rosna incessantemente dentro de mim.
.
já vi que recebeste a encomenda. junta latex e vê o que dá.
.

2:24 am  

Post a Comment

<< Home