Friday, March 13, 2009

there is a place in the heart that
will never be filled
(charles bukowski)


michael jenson by philip-lorca dicorcia

24 Comments:

Blogger corpo visível said...

.
it might be said that twilight is a muddled form of clarity. the warm glow that suffuses the ‘golden hour’ in los angeles acts to filter the grim realities, the outright lies, the self-deceptions, which allow hollywood, and by extension, america to flourish. ‘twilight’ provides the rose-coloured glasses that make it possible to see out but not see in. (philip-lorca dicorcia)
.
hustlers.
.

9:04 pm  
Anonymous Anonymous said...

NO HELP FOR THAT
—Charles Bukowski

there is a place in the heart that
will never be filled

a space

and even during the
best moments
and
the greatest times

we will know it

we will know it
more than
ever

there is a place in the heart that
will never be filled

and

we will wait
and
wait

in that
space.




Beijo.
João D.

11:42 pm  
Blogger genital apoteótico said...

Lembro-me que o "Mulheres" e "Correios" encheram me o coração na minha adolescência.

4:18 am  
Anonymous Anonymous said...

Lembro-me desde sempre ouvir-te dizer que há algo dentro de nós ao qual os outros nunca terão acesso. Será esse "a place in the heart that will never be filled"?
Francisco

5:56 pm  
Blogger Ana said...

às vezes acho que esse espaço( sim, acho que esse espaço existe mesmo) se preenche ... e é tão bom ...e sabe tão bem... mas depois fica vazio outravez... às tantas se calhar tem de ser mesmo assim ... somos insatisfeitos por natureza e é isso que nos dá motivação para continuar a procura ... seja lá do que for :)

7:09 pm  
Blogger Naked Lunch said...

buk por aqui? uuuuuuuuuuuuuuuuuui... não vou comentar, só mesmo demosntrar um grande entusiasmo... assim: :) (enquanto mentalmente canto um buk buk buk buk... 183 vezes)

2:30 pm  
Blogger Clara Mazini said...

Para corações infinitos, talvez...

4:13 am  
Blogger intruso said...

Pois há,

esse lugar vazio que nunca será preenchido, por mais que...

(sentido, relembrado, constatado,
muitas vezes, em dias recentes...)

...

7:36 pm  
Blogger [A] said...

adoro, amo, amo este Bukowski!
palavras tão cruas como facadas


'love is a dog from hell'

3:29 am  
Anonymous Anonymous said...

Self-deceptions... Pois.
M.

10:27 am  
Blogger vermelho como a estrada said...

Que bem que combina o Bukowski com o Philip-Lorca Dicorcia!

9:56 pm  
Blogger O Intelectual Distraído said...

Às vezes chego a cansar-me de tentar convencê-lo de que o amo e amarei para sempre. Mas ele pega nas minhas palavras e, como um advogado, vira-as do avesso. Sei que ele teme o deserto que o rodearia, se o nosso amor tivesse um fim, e não é capaz de imaginar que sinto exactamente o mesmo. O que ele diz em voz alta, digo-o eu de mim para mim e escrevo-o aqui. Que pode construir-se no deserto? Alturas há, depois de um dia em que nos possuímos muitas vezes, em que penso se não será possível atingir o fim do sexo; e bem sei que ele também pensa nisso e teme esse ponto em que o deserto começa.
Que faremos no deserto, perdidos um do outro? Como, depois, continuar a viver?

O Fim da Aventura

1:33 am  
Anonymous Anonymous said...

Acabo de descobrir que o Intelectual Distraído é o Frederico Hartley de "O Céu Sobre Berlim".
Adorei o texto e parecia-me que já o tinha lido noutro lado qualquer: "Alturas há, depois de um dia em que nos possuímos muitas vezes, em que penso se não será possível atingir o fim do sexo"...Magnífico.
Catarina

5:06 pm  
Blogger Mr. Lynch said...

Corpo Visível;
Concordo inteiramente com Charles Bukowski.
Mais uma imagem excelente (como sempre)...

11:03 pm  
Blogger O Caso de Charles Dexter Ward said...

Tenho andado como esses "hustlers" incrivelmente só.
Esta frase do Bukowski toca-me particularmente.

1:47 am  
Anonymous Anonymous said...

"Loneliness has followed me my whole life, everywhere. In bars, in cars, sidewalks, stores, everywhere. There's no escape. I'm God's lonely man."

Robert De Niro como Travis Bickle in Taxi Driver (1976).



Pegando num dos "teus" filmes e num tema que te é caro, deixo isto em jeito de despedida.
Hoje também eu sou um "God's lonely man".
Francisco

2:17 am  
Blogger licopódio said...

Um não-lugar dentro do coração.
Talvez exista.

4:17 am  
Anonymous Anonymous said...

Descobriram-me...

:)~~~


Olá Catarina

3:46 pm  
Blogger Black Angel said...

na Blogosfera, estamos sempre sujeitos a que nos troquem a identidade.
lol

:))

3:59 pm  
Anonymous Anonymous said...

e, na minha ingenuidade, eu pensando que o Hartley era só mais um nick do António do Luminiscências, o que faria dele não só o Intelectual Distraído, como o Black Angel.

vamos perguntar-lhe?

acham que ele dirá a verdade?


P-S - a citação de que fala a Catarina, é de um filme, com a Julianne Moore e o Ralph Fiennes, não é da autoria de nenhum Hartley.

Maria Esclarecedora

4:24 pm  
Blogger itinerário suplementar said...

se fosse preenchido na totalidade, não haveria vontade para caminhar.

de qq forma prefiro pensar que sinto com o estômago - que ao se queixar de tudo, o nada perde importância... às vezes resulta...
:)

(is)

8:03 pm  
Blogger Naked Lunch said...

buk scape

10:29 pm  
Blogger merdinhas said...

‘twilight’ heart zone ?

11:25 pm  
Blogger [A] said...

but
there is a light and it never goes out!

10:49 pm  

Post a Comment

<< Home